Menu Fechar

Como se origina o TDAH?

Como se origina o TDAH?

O TDAH começa no cérebro O transtorno se origina de uma falha no sistema de atenção do cérebro, que é feito de uma rede de neurônios interconectada, que se espalha através de várias áreas do órgão – áreas que vão da motivação e da recompensa até aquelas que envolvem movimento e função executiva.

Quando surge o TDAH?

A história oficial do TDAH conta que, na literatura médica, ele foi primeiro um defeito do controle moral. O cenário de sua aparição foi a capital inglesa na virada do século XIX, mais especificamente, o King´s College Hospital, no ano 1902. George Still é o marco obrigatório.

Qual a biologia do cérebro que está procrastinando?

A biologia do que acontece no cérebro que está procrastinando é basicamente o embate entre duas partes do cérebro: o sistema límbico e o córtex pré-frontal. O sistema límbico é uma parte do cérebro mais antiga e bem desenvolvida. Nela ocorrem os processo inconscientes, como por exemplo, os centros de prazer.

LEIA TAMBÉM:   Como fazer massagem no bebe de 1 mes?

Qual a relação entre impulsividade e procrastinação?

E isso se relaciona diretamente com um outro fator da personalidade: a impulsividade. Quando emoções negativas estão relacionadas com uma tarefa, procrastinadores procuram impulsivamente distrações para sobrepor essas emoções negativas. Dessa maneira, existe uma conexão direta entre procrastinar e agir por impulso.

Por que a pessoa está a procrastinar?

Para a pessoa que está a procrastinar, isso resulta em ansiedade, sensação de culpa, perda de produtividade e vergonha em relação aos outros, por não cumprir com as suas responsabilidades e compromissos. Embora a procrastinação seja considerada normal, pode tornar-se um problema quando impede o funcionamento normal do indivíduo no seu dia-a-dia.

Qual a procrastinação crónica?

Embora a procrastinação seja considerada normal, pode tornar-se um problema quando impede o funcionamento normal do indivíduo no seu dia-a-dia. A procrastinação crónica pode ser um sinal de dificuldades a nível psicológico.